Recife Sites - Agência Web
NOTÍCIAS
Publicado em 17/07/2017, às 10h58
Como colocar em prática o gerenciamento de riscos e analisar os pontos críticos do seu negócio?

Qualquer tipo de empreendimento está sujeito a incertezas, que podem trazer consequências negativas ou positivas para as atividades da empresa. Com uma boa gestão de riscos, é possível reduzir a imprevisibilidade nos negócios com organização e planejamento. Neste artigo, vamos entender melhor o que é o gerenciamento de riscos, como ele pode ajudar no sucesso da empresa e quais suas principais práticas. Confira!

O que é o gerenciamento de riscos?

Antes de tudo, é preciso entender melhor o que é um risco. Para muitas pessoas, eles são apenas as ameaças às atividades da empresa, como desastres naturais, acidentes de trabalho e outros. Mas na verdade, um risco significa qualquer tipo de incerteza que possa impactar o resultado do trabalho, seja de forma negativa, seja de maneira positiva. Logo, existem riscos que também simbolizam oportunidades e entram dentro da prática de gerenciamento de riscos. Em uma empresa que fabrica guarda-chuvas, por exemplo, pode ser detectado o risco de uma estação chuvosa mais longa que o usual. Esse risco será monitorado e acompanhado pela equipe responsável pelo gerenciamento de riscos. Caso se concretize, é esperado que a organização já esteja preparada para aproveitá-lo, com sistemas para aumentar a produtividade e campanhas de marketing específicas para essa oportunidade.E claro, também é papel do gerenciamento de riscos identificar, monitorar e ter planos para responder a ameaças. Se, por exemplo, existe o risco de que uma epidemia de dengue afete parte do departamento de marketing e deixe a equipe desfalcada por uma semana, a gestão de riscos deve mapear, avaliar e saber qual será a melhor medida a ser tomada caso isso aconteça. Isso pode envolver contratações temporárias ou a realocação interna de colaboradores.

Quais são as principais práticas da gestão de riscos?

O primeiro passo para uma boa gestão de riscos é diagnosticar quais são aqueles que podem afetar as atividades do negócio. Para isso, é preciso identificá-los por meio de conversas com especialistas e veteranos da área, levantamento de dados e premissas com o retrospecto da empresa ou até com base em fatos ocorridos com a concorrência. Depois disso, é preciso qualificar e priorizar quais são os riscos mais importantes. Essa priorização é feita com a análise da probabilidade de o risco acontecer e os impactos financeiros e organizacionais que aconteceriam com o ocorrido. Normalmente, tudo isso fica registrado em uma matriz de gestão de riscos, um documento de fácil compreensão que apresenta de forma visual e explícita todos as ameaças e oportunidades aos negócios. Com esse mapeamento, é hora de se planejar. Cada risco identificado precisa ser respondido com uma estratégia específica, que na maior parte das vezes envolve a mitigação: ou seja, a minimização dos danos que a incerteza pode causar, fazendo com que, caso o risco se confirme, os impactos sejam mais brandos.

O que esperar de uma boa gestão de riscos?

Uma boa gestão de riscos faz com que a empresa esteja mais preparada para as incertezas das suas atividades, sabendo como reagir com o máximo de eficiência quando algum imprevisto surgir. Tenha em mente que o time que faz o gerenciamento de riscos não tem superpoderes: eles não serão capazes de prever com exatidão tudo que pode acontecer e não podem evitar que as chuvas de janeiro atrasem a conclusão de uma obra, por exemplo. Ainda assim, uma boa gestão de riscos consegue mapear boa parte das ameaças e oportunidades que podem surgir no caminho dos negócios, além de definir formas para que esses incidentes sejam menos frequentes ou tenham o seu impacto mitigado.

Recife Soluções Digitais LTDA - CNPJ: 19.889.400/0001-28 - Rua General Joaquim Inácio, 830 - Sala 212 - Edf. The Plaza - Ilha do Leite - Recife - PE - (81) 3127.0101 - contato@recifesites.com